Será?

Tasca. Daquelas que serve peixe frito ao almoço e bolos pela manhã. Ainda é noite, mas é já dia para alguns. Já é dia, mas é ainda noite para alguns. É um destes últimos. Um betão estóico sentado ao balcão, com alicerces de minis Navio-Escola e pastéis de bacalhau. Não é ainda hora do peixe, mas confundem-se com bolos.

– Então, pá, que te aconteceu?

– O mesmo que acontece a todos os homens: uma mulher!

– Há outras coisas que também acontecem. Que tem essa mulher?

– Há outras coisas? Deves ter uma vida muito desinteressante, tu. Esta mulher tem muitas formas de dizer que não, e só algumas querem dizer sim.

– Não achas que um não pode ser um não?

– Acho! É por isso que estou aqui. Parado. A angústia é um paralítico, o amor é um motivador muito melhor. E quando se tem um desejo perfeito, não se quer procurar outra coisa. Vou já numa versão abreviada. Falta-me o tempo, uma hora a menos no relógio, que me vai comendo a vontade.

– Isto é país católico, há muitas Marias na calha. E tu podes tê-las todas!

– Não posso nada. Tirando o facto de me vir nas calças todos os dias, não tenho nada de especial. Sou até um tipo bastante normal…

– Serás? Olha, bebe aqui um galão. O café e o açúcar vão acordar-te. Animar-te!

– Além desta mini e do peixe que é bolo, não provo nada a não ser melodrama.

– Tens fome, aposto. Foi uma noite cansativa. Toma, vá! Ainda me vais agradecer.

– A gratidão é inútil. É apenas a expectativa de favores futuros.

– Estás só para aí feito íman carente e eu a tentar tirar sangue da pedra. Vamos mudar de assunto. Não falemos de homens ou mulheres.

– Falamos de quê então, hermafroditas?

– Ora aí está um assunto positivo. É só vantagens. Imagina as possibilidades de ter dois sexos!

– Imagino, sim. Podes ser impotente e frígida ao mesmo tempo.

– Porra, que língua de navalha! Não te sai nada de bom dessa boca.

– Só esta espinha, agora. Há bocado também me saiu um pirulito de cerveja. Voltou para trás! Já não sei se foi depois da número 17 ou 18.

– Charmoso, han! Aposto que com esses adereços a conquistavas num instante.

– Conquistava quem?

– A mulher do início. Essa matrioshka de sins e nãos.

– Ahhh era disso que estávamos a falar? Não ligues a isso, pá! Eu quero é fornicações épicas aleatórias.

 

Gonçalo Fortes

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s